5 motivos para você atualizar o Plano de Segurança do Paciente (o quanto antes)

5 motivos para você atualizar o Plano de Segurança do Paciente (o quanto antes)

A segurança do paciente é um grande diferencial nos serviços de saúde. Leia agora 5 motivos para atualizar o plano de segurança do paciente (o quanto antes)

Antes de começarmos a falar sobre a necessidade de atualização e implementação do Plano de Segurança do Paciente (PSP) nos serviços de saúde, é importante conversarmos um pouco sobre a Segurança do Paciente em si. O que é a Segurança do Paciente? De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), a Segurança do Paciente é a redução, a um mínimo aceitável, do risco de dano desnecessário associado ao cuidado de saúde. E quais seriam esses danos? Os danos podem ser de vários tipos, incluindo-se doenças, lesão, sofrimento, incapacidade e morte.

Agora que definimos os danos, chegamos a uma pergunta fundamental em nosso artigo: Você conhece a diferença entre danos e incidentes de segurança? Os incidentes de segurança são eventos ou circunstâncias que poderiam ter resultado, ou resultaram, em um Evento Adverso (EA), ou seja: um dano desnecessário ao paciente. Se eliminamos os riscos diminuímos a probabilidade de um incidente de segurança ocorrer. Resumindo, tanto os danos quanto os incidentes de segurança são completamente evitáveis e decorrentes de falha humana.

segurança do paciente

Há uma estimativa de que a cada ano, somente no Brasil, mais de 500 mil pacientes são vítimas de erros médicos evitáveis. Não se assuste, mas essa é uma das maiores estatísticas do mundo! Você sabia disso? Outro dado ainda mais impressionante: em 10 anos, o Superior Tribunal de Justiça (TSJ) registrou um aumento 1.600% nos processos por erros médicos em nosso país.

Diante da frequência e gravidade dos danos decorrentes aos pacientes, o Ministério da Saúde do Brasil vem seguindo uma tendência mundial junto a ANVISA e instituiu em 2013 o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP). Qual o objetivo geral do PNSP? Contribuir para a qualificação do cuidado em saúde, em todos os estabelecimentos de Saúde do território nacional (públicos e privados).

Você já deve ter percebido que a precaução resultante da qualificação profissional continua sendo a melhor maneira de evitar as falhas dentro dos serviços de saúde. Continue lendo nosso artigo e conheça 5 motivos para você atualizar o Plano de Segurança do Paciente (imediatamente):

Motivos para Atualizar o Plano de Segurança do Paciente

1º motivo: Até 73% dos erros cometidos em hospitais são evitáveis

Provavelmente você já deve ter presenciado ou soube através de um conhecido ou mesmo um jornal, algum caso de erro evitável no ambiente hospitalar. Em 2009, pesquisadores da Fiocruz realizaram um estudo no Brasil, e constataram a realidade dos Eventos Adversos (EA) em três hospitais do Rio de Janeiro. Foram observados 1.103 pacientes adultos internados e estimou-se a incidência de EA de 7,6% e proporção de EA evitáveis de 66,7%, uma das maiores identificadas no mundo. O local mais frequente de ocorrência de EA foi a enfermaria (48,5%) e o tipo mais comum os cirúrgicos (35,2%). Quer saber mais? Continue lendo o artigo. Confira um resumo dessa pesquisa no infográfico abaixo:

segurança do paciente educa saúde

 

2º motivo: Erros em atos cirúrgicos crescem 1.600% em 10 anos

Doutor, ultimamente fala-se muito sobre a “judicialização” da Saúde, para você que trabalha nessa área pode ser um problema, mas para os pacientes que são prejudicados pelos serviços médicos, essa tem sido a solução – por isso é fundamental sempre ficar atento e atualizado às normas da ANVISA. Um estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Direito Médico e Bioética (Anadem), constatou que em 10 anos, o Superior Tribunal de Justiça (TSJ) registrou um aumento 1.600% nos processo por erros médicos no Brasil.

De acordo o pesquisador Raul Canal, advogado e presidente da Anadem: “Não houve nenhuma outra pesquisa tão profunda e tão pormenorizada perante os tribunais brasileiros em nenhuma outra temática jurídica. Trata-se de um estudo inédito e completíssimo. Não se trata de uma amostragem. É a radiografia real e completa de todos os processos julgados a propósito do tema”.

3º motivo: Prevenção da reincidência de danos passados

Voltamos a bater na mesma tecla: a prevenção continua sendo o melhor remédio para evitar repetência de erros danosos ao paciente. Cabe a você, gestor de uma unidade de saúde, implantar o NSP e fazer o monitoramento necessário junto à sua equipe para prevenir a reincidência de danos passados.

A Anvisa estabeleceu como competência do Núcleo de Segurança do Paciente (NSP) notificar ao Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS) os EA decorrentes da prestação do serviço de saúde. Essas informações geradas pelo sistema de notificações são utilizadas para orientar tomadas de decisão tanto da Vigilância Sanitária como da gestão do sistema de saúde como um todo, buscando a aprendizagem e melhoria contínua.

4º motivo: Identificar possíveis incidentes relacionados à não adesão das práticas de segurança

Temos certeza que você concordará conosco: não aderir às práticas de segurança baseadas em evidências é um fator contribuinte para o incidente de segurança, estando ou não relacionada à ocorrência de dano. Por isso o Plano de Segurança do Paciente (PSP) em Serviços de Saúde, elaborado pelo NSP, deve estabelecer estratégias e ações de gestão de risco, conforme as atividades desenvolvidas pelo serviço de saúde para 15 processos essenciais, inclusive a implementação de protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde (como falaremos abaixo).

Isso significa que as informações sobre a implementação destes processos são fundamentais para a gestão da segurança do paciente, pois indicam o que deve ser melhorado para prevenir incidentes de segurança conhecidos previamente.

segurança do paciente educa saúde

5º motivo: Obedecer os protocolos do Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP)

O desenvolvimento de competências para a análise e tomada de decisões dos processos críticos na área de Gestão e de Segurança do Paciente é fundamental para os profissionais e estudantes de Saúde, no entanto é necessário obedecer os protocolos do PNSP para uma atuação de excelência. Você conhece as 6 normas? São elas:

  1. Protocolo de Identificação do Paciente;
  2. Protocolo para Prevenção de Úlcera por Pressão;
  3. Protocolo de Segurança na Prescrição, Uso, e Administração de Medicamentos;
  4. Protocolo para Cirurgia Segura;
  5. Protocolo para a Prática de Higiene das Mãos em Serviços de Saúde;
  6. Protocolo de Prevenção de Quedas;

Em outro artigo explicaremos um pouco sobre todas essas normas do PNSP. Acompanhe nosso blog e confira!

Os descompassos entre os estabelecimentos de Saúde inadequadamente geridos e a necessidade de lidar profissionalmente com organizações que operam em condições de alto risco tendem a provocar crises cada vez mais frequentes. O grau de complexidade que o cuidado de saúde atingiu não deixa mais espaço para uma gestão de Saúde não profissionalizada. Você concorda?

Mantenha seu paciente seguro e a sua consciência também! Você quer saber como? Disponibilizaremos AGORA, um minicurso com 3 aulas completamente GRATUITAS do nosso curso Segurança do Paciente. Assista já! Clique aqui

O que você achou desse texto sobre o Segurança do Paciente? Comente abaixo e compartilhe com seus amigos!

segurança do paciente educa saúde

Comentários

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0

Portal Educa Saúde | Cursos EAD na área de saúde